quarta-feira, maio 17, 2006

Não é bem um Hotel mas também não é bem uma pensão.

Da profissão que tinha guardava algumas vantagens para os momentos em que se sentia um pouco mais abatido. Escrevia essas vantagens nuns papeluchos amarelos que se colavam todos uns aos outros e metia-os dentro do bolso interior do casaco. Relia-os nas noites de verão em que estava sozinho na cidade, enquanto todas as outras pessoas se tinham metido num apartamento de aluguer em Albufeira, Figueira da Foz, Esposende ou Sanxenxo.

Um desses papéis dizia: conhecer bem todo o país. [este homem alegrava-se com coisas simples]
Outro dizia: podes manter-te actualizado com as últimas novidades do mercado de collants de senhora. [este homem tinha interesses bizarros]
E finalmente havia um que rezava assim: dormir em Hotéis que têm televisão por cabo. [este homem vivia numa zona sem televisão por cabo]

Releu por diversas vezes este último papelucho. Isto porque ele não conseguia dormir bem de cada vez que tinha que dormir num hotel. Sim, os hotéis eram bons. Sim, estavam limpos. Sim, tinham ar condicionado. Mas não, não conseguia dormir bem em nenhum deles.
Três anos depois escrevinhava num papelucho amarelo, com a letra tremida pelo balançar do comboio: os hotéis mais rascas têm menos canais, mas o sono é mais profundo.



| Aparição de S. JoaoLuc às pastorinhas | Coimbra | Maio de 2006 |

6 comentários:

Baggio disse...

Benzi-me e fechei logo a página.

B|g EyE F|sH disse...

que revelaçoes terao as pastorinhas agora...?!

JL disse...

As visões do paraíso são sempre de interpretação complexa.

Armindo de Jesus disse...

Sanxenxo é horroroso. tal como as pastorinhas...

branda disse...

Se o Sao Joao tivesse aparescido deste jeitao, a Luzia ia saber o que era bom.. ;) Sanxenxo nao é horroroso; é pior

Ana disse...

heheh... afinal era este o 3ª segredo !