terça-feira, janeiro 27, 2009

Gripes e Bruxas.

Vítima eu próprio de uma gripe e sabendo que é necessário por vezes usar todos os trunfos para ultrapassar os problemas, decidi-me a escrever uma carta a uma bruxa. O endereço da mesma é mantido em segredo por uma questão de proteção contra mau-olhado.

Querida bruxa,
envio-te em anexo uma mensagem de correio electrónico do meu amigo M. Conto que possas pegar nela e fazer todos os encantamentos necessários. Tenho duas suspeitas em relação a este problema: a primeira resulta visivelmente de uma falha de atualização dos anti-vírus, o que faz com que este meu amigo esteja vulnerável aos ataques selvagens desses invisíveis seres capazes de estragar toda a sua sociabilidade. A segunda suspeita resulta do facto desses malvados vírus terem necessariamente que ter sido sujeitos a um encantamento tal que faz com que o meu amigo M. não possa encontrar-se com portugueses!

O primeiro episódio ocorreu em Dezembro e o segundo episódio ocorreu apenas um mês depois- esta mesma semana! Isto é um caso de mau-olhado vil, de voodoo anti-luso e cujas consequências podem ser desastrosas. É que além de Vigo ser demasiado próximo de Portugal (o que me deixa com a suspeita que, apenas pela influência do vento sul, lhe possa provocar a maleita), há portugueses, como é sabido por todo o planeta, mesmo nos locais mais improváveis. Isto significa que o M., por mais que queira não se poderá esconder e corre o risco de ficar permanentemente com gripe.

Peço-te por isso, querida bruxa, que pegues nesta mensagem de correio electrónico e desfaças todos os encantamentos que julgues necessários. Peço-te apenas que não cortes o pescoço a galinhas e que não maltrates nenhum animal. Usa todas as formas vegetarianas de magia que conheças.

O pagamento será feito via paypal.

Cumprimentos


| fotografar com 38,5ºC de febre | bahia honda | cuba | abril 2008 |

segunda-feira, janeiro 19, 2009

terça-feira, janeiro 06, 2009

sexta-feira, janeiro 02, 2009

Desejos idiotas.

Continuar a ter o tempo necessário para os amigos. E fotografar o que, em regra, anda lado a lado.


| malécon | havana | abril de 2008 |