sábado, outubro 28, 2006

A previsibilidade

Num daqueles momentos em que os velhinhos do nosso país são arrebanhados em autocarros até aos comícios dos partidos, lembro-me de ouvir ufano o Jorge Coelho, na altura em que ele era mais anafadinho, a afirmar:

«-Eu [ele] posso ter muitos defeitos [hãhã] mas uma coisa é que eu não sou!!! [hmmm... de esquerda?]
-Eu não sou ingénuo!!! [isto ele repetiu várias vezes subindo o tom de voz - o que deve ter aprendido naqueles livros sobre como falar em público]»

Eu que nunca tinha pensado que a ingenuidade pudesse ser um defeito fiquei um pouco perplexo com a minha própria (agora tenho que cometer um pleonasmo) ingenuidade.

Ora a previsibilidade, tal como a ingenuidade, não me parece que seja defeito e em em muitas coisas eu aprecio que @s meus/minhas amig@s sejam previsíveis. Pensemos, sei lá, na questão de certas escolhas que as pessoas fazem na vida.

Clique na imagem abaixo para ver as restantes da mesma série.


| eu já abortei | figueira da foz | camara de lobos | 2005 |

2 comentários:

Armindo de Jesus disse...

fizeste a escolha certa e aí está o fruto, embora do pecado. assim saibas merecer a dádiva de uma vida gerada.

leandroribeiro disse...

«Estava tão certo do seu pacifismo, tão seguro de si! "Eu sou um pacifista" Tinha-se definido de uma vez para sempre, não tinha mais a fazer senão agir de acordo consigo próprio, sem olhar para a esquerda ou para a direita. Sem olhar para a frente. Como se a estrada estivesse completamente traçada.»

Imagina-me ler-te isto, enquanto adormeces, sentadinho na beira da cama. Prometo que te afagava a moleirinha quando te sentisse a respiração mais pesada :)