quarta-feira, junho 06, 2007

O que visitar na Madeira

Aí tens a página oficial do Turismo da Madeira.

Sendo eu meio açoreano - na verdade sinto-me bem mais que meio açoreano - sempre olhei com alguma displicência para a ilha da Madeira. O estereótipo de que os Açores são muito mais bonitos que a Madeira, é coisa que se ouve sempre e, como vim a confirmar, não é exactamente verdade. É certo que a ilha foi-me apresentada da melhor forma: por um guia excepcional.

Para quem quer turismo de hotel, não há como o Funchal. A zona do Lido, a lembrar o pior do urbanismo algarvio, tem todos os hotéis de luxo concentrados num raio de 2kms.

Logo ao lado está Câmara de Lobos. Vila piscatória e uma das zonas mais pobres da ilha. Uma espécie de Rabo de Peixe da Madeira. A visitar, evidentemente.

No estreito de Câmara de Lobos (o vale que se estende para norte até ao Curral das Freiras), além dos bananais, estão os mais famosos restaurantes da ilha. Mas comer comer é encontrar uma tasca qualquer no Funchal (das que não têm pretensão a receber turistas) e comer milho cozido com atum de cebolada. Um pitéu bem melhor que a vulgar espetada madeirense.

Ainda no Funchal é obrigatório comer as queijadas da confeitaria Penha d'Águia. O movimento é muito e o serviço tanto quanto me lembro é fraquito, mas as queijadas valem o esforço.

O mercado do Funchal (sobretudo a parte das frutas) é uma das armadilhas para turistas. Preços exorbitantes para as frutas tropicais, que podem ser compradas por menos de metade do preço noutro sítio, sobretudo se compradas a quem as vende na berma da estrada. À beira da estrada também se podem comer bolos do caco feitos na hora.

Mas o verdadeiro encanto da ilha encontra-se na montanha.

A vista da Eira do Cerrado sobre o Curral das Freiras é obrigatória. Daí tem-se uma vista panorâmica sobre toda a zona central da ilha e sobre a zona montanhosa que a rodeia.

Os dois grandes Picos da Ilha são o Pico do Areeiro e o Pico Ruivo. O Pico do Areeiro pode ser visitado de carro e o Pico Ruivo num curto passeio de uma hora a pé. A pressão turística é aliás um dos problemas sérios em sítios que eram até há poucos anos de natureza virgem.

Há um percurso a pé entre o Pico Ruivo e o Pico do Areeiro, tal como há imensas levadas que podem ser percorridas por toda a ilha. As levadas servem para recolher água doce das encostas e traze-la para ser usada na agricultura da parte sul. Algumas das levadas são perigosas: acompanham escarpas e não foram feitas propriamente para receberem montanhistas de fim de semana.

A zona do Paul da Serra, dá acesso de carro a dois sítios: ao Fanal e à queda de água do Risco. A queda de água do risco está habitualmente cheia de turistas mas vale a pena o passeio de uma hora ou pouco mais. O Fanal parece-me que é felizmente menos turístico. Trata-se de uma mata de Tis e é mais um sítio único e de visita obrigatória.

Boa viagem... põe-te fina. ;)


Queixava-se um amigo meu que os meus textos nada têm a ver com as fotos. É verdade. E é natural que isso aconteça muitas vezes. Mas hoje até tive a preocupação de ir buscar uma foto adequada. Este blogue está cada vez mais descaracterizado.


| Til | Fanal | Ilha da Madeira | Março de 2005 |

2 comentários:

Black Cat disse...

Interessante "ouvir" o ponto de vista de alguém de fora, eu que sou de "dentro" (Madeira) :)
Grande blog! Parabéns!

leandroribeiro disse...

Em boa verdade te digo que não me recordo de qualquer amigo teu se ter "queixado". "Notado" será talvez mais correcto.

Mas, sabe-se lá, terá acontecido tal coisa numa altura qualquer em que eu não estava :)