domingo, junho 17, 2007

A televisão de alta definição

Quase sem rebuliço, foi lançado esta semana o primeiro serviço de televisão de alta definição em Portugal.

Durante muito tempo este serviço vai ser apresentado como um serviço de telefone, internet e televisão. Essa é a única maneira das pesssoas perceberem do que se trata e portanto é a única forma de o vender. Mas tecnologicamente não é nada disso. Ou melhor, é muito mais que isso.

A televisão foi a mais importante forma de comunicação. Quando o telejornal mudava de horário, a hora da refeição tinha que ser obrigatoriamente alterada lá em casa. Assim seria provavelmente em todas as casas.

Hoje, as televisões são pouco mais que supérfluas. Fazem algum sentido em conjunto, mas sem qualquer significado quando vistas isoladamente. Só assim poder-se-ia vender televisão por cabo. O que se vende é o zapping e a sua sensação de liberdade, mas o que se compra é uma enjoativa repetição de programas temáticos e a sua sensação de déjà vu.

Aliás, é um dos rudimentos da teoria da informação: quanto mais frequente é uma determinada "palavra", menos informação transporta.

A televisão está neste momento tecnologicamente ultrapassada. Não será mais do que uma curiosidade do século XX. Desde a semana passada que podemos ver canais de alta definição em casa, escolher os programas que queremos ver e à hora que o quisermos fazer, construir uma grelha de canais ao gosto de cada um, ter acesso a bibliotecas de filmes acessíveis a qualquer hora e a qualquer momento.

E evidentemente que tudo isto será ainda melhor quando o acesso for feito não por pares de cobre, mas directamente em fibra óptica (FITL - fiber in the loop). Vamos rapidamente deixar de falar em "Megas" para começar a falar na hierarquia SDH - todos com STM-1 em casa... Que maravilha. :)

O electrodoméstico "televisão" será apenas mais um dos terminais ligados a redes de dados - as mesmas de que é feita a internet. E são essas redes que mudarão a forma daquilo que são as nossas vidas. Ou melhor ainda, nós é que as mudaremos.

 quatro homens de cajado
| o mistério do cajado anão | amarante | junho de 2007 |

2 comentários:

leandroribeiro disse...

Onde trabalhas? 8-)

Luciano disse...

pois, pois... isso da fibra é só para meninos da cidade! :p